Instalando git

  • Rafael Miceli
  • 15 Jun 2016

Git é provavelmente a ferramenta de controle de versionamento mais famosa atualmente.

Criado em 2005 pela comunidade Linux e pelo Linus Torvald, é extremamente poderoso para o trabalho com múltiplos branchs e até por isso exige uma certa curva de aprendizado.

E vamos ao aprender.

Instalando git

Antes de usar o git precisamos instalar o mesmo. Para isso vamos no seguinte link: https://git-scm.com/downloads

Após baixar vamos começar a instalar o git seguindo wizard.

Lembrando que esses são os passos do git para windows.

Tela 1

Na primeira tela aceitamos a licença clicando em Next.

Tela 2

passo1

Na segunda escolhemos quais componentes queremos instalar como por exemplo ícone adicional na área de trabalho, ou adicionar a opção de abrir com o Git Bash na pasta em que estiver clicando com o botão direito.

Tela 3

passo2

A terceira tela você configura o PATH da sua maquina em uma das seguintes opções.

1 - Você não modifica seu PATH, e para você usar o comando git vai conseguir usar apenas no Git Bash

2 - A segunda opção você insere em seu PATH o comando git, e assim consegue usar o comando tanto no Bash quanto no Command Prompt ou Powershell.

3 - A ultima opção o além de inserir o comando git no PATH ele também vai inserir algumas ferramentas Linux como: find ; kill ; sort, e entre 20 a 30 outros.

Essa última opção você tem de estar bem ciente do que está escolhendo. Pois algumas utilidades ambos os Sistemas Operacionais (Linux e Windows) possuem alguns comandos como o find, kill e sort. Apesar do comando ser o mesmo, eles funcionam de forma diferente (não vou entrar em tantos detalhes).

Selecione a opção 2.

Tela 4

passo3

Na quarta tela temos mais 3 opções.

1 - Está é a opção recomendada para Windows, uma vez que quebra de linha em arquivos são diferentes no Windows e no Linux/MAC:

Falando um pouco de quebra de linha (que por si só é um assunto com mais história por trás), nós tempos antigos da maquina de escrever o termo LF (usado no linux e no MAC) significa Line Feed e era usado para quebrar a linha, mas matinha o cursor da máquina na mesma posição horizontal. Enquanto CR significa Carriage Return, que é para fazer o cursor voltar ao inicio da página. Windows usa como quebra de linha o código CRLF enquanto o Linux LF.

Nesta opção cada vez que você realizar o commit de um arquivo ele vai ser convertido de CRLF para LF, e toda vez que você realizar o checkout ele vai converter de LF para CRLF.

2 - Nesta opção você vai realizar o checkout do jeito que vier, ou seja, se vier LF, vai continuar LF, não vai transformar para CRLF, mas ao fazer commit, ele vai tranformar de CRLF para LF.

3 - Nesta opção (como de se esperar) ao realizar checkout vai vir como LF e ao realizar commit não vai transformar de CRLF para LF, vai mandar como CRLF mesmo.

Selecione opção 1.

Tela 5

passo4

Nesta quinta tela escolhemos entre usar o terminal MinTTY ou o terminal default do windows Command Prompt (cmd). Nunca usei o MinTTY mas muitos falam que ele é excelente, principalmente para quem não está no windows 10.

Algumas das vantagens que o Mintty oferece são:

Redimensionar a tela para qualquer tamanho (até maximizar) Ações de copiar e colar mais fácil Mais rápido

Selecione a opção do Mintty. E lembre-se que isso anda não impede de você usar o comando git no cmd ou Powershell uma vez que você adicionou ele a seu PATH.

Tela 6

passo5

Nesta tela podemos ativar as seguintes opções:

  • Habilitar file system caching.

Podemos selecionar esta opção uma vez o filesystem do windows é bem diferente do linux (no qual o git foi otimizado), com isso ganhamos um boost em performance, visto que em algumas situações o git pode ficar mais lento.

  • Habilitar Git Credential Manager (GCM)

Podemos selecionar a opção de habilitar o Git Credential Manager (GCM), que basicamente é uma funcionalidade para você armazenar sua usuário e senha, e não precisar ficar escrevendo os mesmos a cada sincronização com seus repositórios. O GCM possuí bastante funcionalidade e caso você queira conhecer um pouco mais a fundo recomendo o post feito a respeito apenas a ele no blog da msdn.

Pode manter as duas opções selecionadas.

E após isso, a instalação vai rolar com todas as opções que escolhemos anteriormente.

No próximo post vamos criar um repositório local e como funciona o git localmente.

comentarios com Disqus Disqus